HomeCidadeSabor único, alta produtividade e indicação geográfica diferenciam o mel do Oeste

Sabor único, alta produtividade e indicação geográfica diferenciam o mel do Oeste

Published on

Diversidade de árvores, floradas é uma das maiores reservas de Mata Atlântica do país. Os apicultores do Oeste do Paraná, localizados nas imediações do Lago de Itaipu, produzem um mel diferenciado. Com sabor característico e produtividade acima da média nacional, o Mel do Oeste do Paraná ganhou fama nacional e desde 2017 possui Indicação Geográfica concedida pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI).

O Mel do Oeste está contemplado na série de reportagens da Agência Estadual de Notícias sobre os 12 produtos com Indicação Geográfica que fazem do Paraná o terceiro estado com mais certificados no Brasil.  

Ao todo, 48 municípios estão dentro da delimitação geográfica da indicação, produzindo mel da Apis (Abelha Europa Africanizada) e da Jataí, uma abelha nativa sem ferrão. Mas o que todas estas cidades têm em comum é que estão inseridas num bioma muito específico, formado pela área de reflorestamento que se estabeleceu ao redor do Lago de Itaipu. A riqueza e a diversidade das árvores e floradas melhoram a qualidade e produtividade do mel.

A Cooperativa Agrofamiliar Solidária (Coofamel), localizada no município de Santa Helena, foi a requerente do reconhecimento. Ela reúne, sobretudo, agricultores familiares. De acordo com Antônio Henrique Schneider, presidente da Coofamel, a cooperativa surgiu em 2006 para organizar a produção de mel da região – hoje são cerca de 150 cooperados. Segundo ele, após organizar o grupo e a assistência técnica ao produtor, surgiu a necessidade de agregar valor ao produto.

“Assim nasceu a ideia da Indicação Geográfica. Foi um trabalho amplo, com diversas frentes, para provar que o nosso produto é diferenciado”, afirma.

Dos 150 produtores cooperados, cerca de 40 produzem o mel com IG. Ou seja, eles cumprem um checklist – chamado de caderno de campo – de pelo menos 80 itens que vão desde modo de fazer, manejo, tipo de colheita, manutenção do apiário, até o material utilizado.

ANÁLISES – A Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste) fez todas as análises para verificar o que o mel da região tem de diferente. E, de fato, ficou comprovada cientificamente a riqueza do produto. O fato de os produtores estarem estabelecidos às margens do Lago de Itaipu permite que as abelhas tenham acesso a uma grande biodiversidade que influencia diretamente no sabor do mel e a produtividade das colmeias.

A professora doutora Regina Conceição Garcia, docente do curso de Zootecnia do Centro de Ciências Agrárias da Unioeste, campus de Marechal Cândido Rondon, conta que a instituição de ensino superior trabalha em parceria com a associação de apicultores, Apioeste, desde 2005.

 “Naquela época, conseguimos aprovar, junto à Itaipu e ao CNPq, um trabalho para iniciar as análises físico-químicas do mel, além das análises polínicas. Também levantamos as condições de trabalho dos apicultores. Foi com base na conclusão destes primeiros estudos que nasceu, em 2006, a Coofamel”, explica.

Em 2008, com auxílio de projeto aprovado pela Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia e Ensino Superior e a Universidade Gama Filho (Seti/UGF), o grupo de pesquisa realizou o georreferenciamento de 300 apiários da região. Depois, anualmente, a universidade seguiu fazendo análises do mel produzido na região, dando retorno tanto para a cooperativa quanto para os apicultores. Somente em 2015 começou a ser construída a ideia de pleitear a indicação geográfica.

“Fazíamos essas análises físico-químicas, algumas microbiológicas e também  análises melissopalinológicas, que são análises da origem botânica do mel. Nas reuniões com o pessoal do Instituto Nacional de Propriedade Industrial foi demonstrado todo esse trabalho, e que os resultados das análises haviam sido publicados em forma de trabalhos científicos. Tudo corroborou para comprovar a qualidade do mel da região”, recorda Regina.

Após a obtenção da IG junto

Ultimas Notícias

FESTA DO TRABALHADOR

Aos vinte e sete dias do mês abril do ano de dois mil e...

Prefeitura de Itaguajé envia caminhão-pipa com Motorista para o Rio Grande do Sul

A Prefeitura de Itaguajé enviou caminhão-pipa com um motorista para auxiliar população gaúcha no...

Paraná realiza acolhimento de mais 163 profissionais do Programa Mais Médicos

No Paraná, 351 municípios aderiram ao programa, sendo disponibilizadas pelo Ministério da Saúde 1.685...

Colorado arrecada 12 toneladas de donativos para vítimas de enchente no Rio Grande do Sul

Passados sete dias, terminou na manhã da sexta-feira (10) uma das fases da ação...

Mais Notícias

FESTA DO TRABALHADOR

Aos vinte e sete dias do mês abril do ano de dois mil e...

Prefeitura de Itaguajé envia caminhão-pipa com Motorista para o Rio Grande do Sul

A Prefeitura de Itaguajé enviou caminhão-pipa com um motorista para auxiliar população gaúcha no...

Paraná realiza acolhimento de mais 163 profissionais do Programa Mais Médicos

No Paraná, 351 municípios aderiram ao programa, sendo disponibilizadas pelo Ministério da Saúde 1.685...

Isso vai fechar em 20 segundos

Abrir bate-papo
💬 Precisa de ajuda?
Olá 👋
Podemos ajudá-lo?